Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Amigos da Umbanda!!! Saravá aos Pretos Velhos e Pretas Velhas!!!!!!!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Pontos Riscados, o que são?


Durante as sessões de terreiro, observamos as Entidades Espirituais utilizar-se de uma espécie de Giz (Pemba – Material Calcário) para traçarem sobre determinas superfícies (madeira, mármore, cobre, etc.) figuras como sóis, luas, estrelas, triângulos, lanças, flechas, folhas, raios, ondas, cruzes, além de alguns sinais ininteligíveis, que despertam em alguns médiuns e assistentes a curiosidade em saberem o que são e quais as funções dentro da ritualística umbandista.

A estas configurações expressas pelos espíritos trabalhadores da Corrente Astral de Umbanda chamamos de PONTO RISCADO, A GRAFIA SAGRADA DOS ORIXÁS.

Comecemos por trazer à tona, o porquê do nome Ponto Riscado, antes de qualquer coisa, imaginem e guardem em sua mente a cruz, símbolo da Fé, do Cristianismo e do Martírio de Jesus, para melhor entenderem as explicações.

No plano cósmico temos basicamente duas linhas primárias de constituição energo-magnética (energia = magnetismo) que são responsáveis pela evolução e ascensão dos mais diferentes tipos de vida nos reinos que fazem parte de nosso Planeta (Mineral, Vegetal, Animal, Hominal e Espiritual).

A estas duas linhas que se tangenciam (focam) nominados de Linha Energo-Magnética Ascensional (vertical) e Linha Energo-Magnética Evolucional (horizontal), que juntas, compõe a Cosmopotência ou a Irradiação de Oxalá (contração do termo Orixalá = A Luz do Senhor Deus), pois tal encontra-se sob a Supervisão do Maior dos Orixás a nível planetário, o Cristo Jesus.

Pela dinâmica do Princípio de Desdobramento Astral, que implantou aquilo que conhecemos como polaridade positiva e negativa, criadas para oferecer o suporte necessário a todos os níveis e subníveis do processo ascensio-evolucional, a Irradiação de Oxalá, sem perder o seu caráter coordenador e atuante, fragmentou-se harmonicamente em outras seis Irradiações, todas de constituição energo-magnética secundária, e que pelo princípio retrocitada atuariam nas polaridades passiva (negativa) e ativa (positiva), absorver, estagnar e depurar as nocividades.

Já no pólo ativo, tais Linhas ou Irradiações têm como função potencializar, dinamizar e expandir propriedades benéficas.

Devemos dizer ainda, que estas Seis Linhas ou Irradiações são comandadas pelos Orixás, os Senhores da Luz.

Assim, dentro das respectivas polaridades, estas Linhas ou Irradiações se entrecruzam e interagem ininterruptamente, formando incontáveis interseções energo-magnéticas entre as mesmas, de composições e atribuições diversas.

A cada um destes elos, imersos pelo tangenciamento de tal Força, na Umbanda denominamos Ponto (Astral).

Estas várias interseções e suas variantes formam incontáveis fusões ou justaposições de Forças energo-magnéticas, que fluem perenemente no Planeta Terra, dando a devida sustentação ao mesmo.

Para que as forças que constituem estes elos sejam movimentadas especificamente para os trabalhos de Umbanda, é imperioso que haja o acionamento de determinados “códigos de acesso”, consoante resultado que se queira alcançar.

Em nossa religião, uma das formas com que os laboradores espirituais, quando incorporados, entram em contato com tais forças, manipulando-as conforme as necessidades, é através do traçado de determinados símbolos(códigos-senhas), que, colocados em posição co-relata, acabam por atrair as corrente energo-magnéticas indispensáveis a determinado trabalho, que são recepcionadas pelo campo formado pelo “desenho”-material riscado, aglutinando-se e gravitando em torno do mesmo, isto a nível etérico, sendo redirecionados pelos espíritos para os mais diferentes fins, repetimos, sempre positivos.

Neste sentido, podemos conceituar Ponto Riscado como sendo um ato litúrgico-magístico, de iniciativa dos espíritos da Corrente Astral de Umbanda, que, mediante o uso de pemba, riscam símbolos que revelam a identidade e a linha de trabalho dos mesmos, ou ainda abrem canais de interação com forças energo-magnéticas propícias que percutem no plano material, para atuarem em determinada situação.

Já de posse do conceito de Ponto Riscado, podemos nominá-los, segundo a finalidade a que se propõem.

Temos então:

• Esotérico: Oculto, velado;
• Exotérico: Ostensivo, aberto;
• Atrator;
• Equilibrador;
• Neutralizador;
• Fixador;
• Puro;
• Misto;
• Sugestivo (Efeito Psíquico);
• Real (Efeito Objetivo);
• De Firmeza (Defensivo-Repressivo);
• De Segurança (Defensivo-Preventivo);
• Identificador do Espírito: De Falange; De Campo de Atuação; Da Irradiação (Principal, Secundária, Etc.) ou de Forças-Bases.

O que acabamos de citar são os tipos ou espécies de Pontos Riscados mais utilizados pelos espíritos trabalhadores da Umbanda.
Outros existem.

Esperamos que com tais apontamentos, termos dado nossa contribuição para o esclarecimento de todos os Umbandistas de fé e seriedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ouça os Pontos da Linha de Esquerda da Umbanda